Naval

Sete Brasil fecha acordo com construtores para construção de seis plataformas e sete navios

A empreiteira brasileira de perfuração Sete Brasil chegou a um acordo com os construtores de plataformas de Cingapura Keppel Offshore & Marine e Sembcorp Marine relacionados a contratos para a construção de seis plataformas semi-submersíveis e sete navios de perfuração, respectivamente. 

Sete Brasil semi - Urca
Sete Brasil semi – Urca; Fonte: Keppel

A Sete Brasil foi formada em 2011 para possuir e operar plataformas de perfuração a serem usadas pela Petrobras na perfuração offshore no Brasil. A empresa foi posteriormente vinculada ao maior escândalo de corrupção no Brasil, o Lava Jato, que a impediu de obter empréstimos bancários previamente aprovados, destinados a serem usados ​​para pagamentos por sonda.

Além disso, a Petrobras se recusou a se comprometer com todo o pacote de contratos da sonda. Tudo isso levou a Sete a não pagar prestações por mais de US $ 10 bilhões em equipamentos de perfuração que havia encomendado à Sembcorp e ao seu compatriota Keppel. Em abril de 2016, a Sete Brazil foi forçada a pedir proteção contra falência devido à hesitação da Petrobras em assinar os contratos de longo prazo.

A Keppel Offshore & Marine disse na segunda-feira que suas subsidiárias, Fernvale e FELS Offshore, firmaram um acordo com subsidiárias da Sete Brasil, incluindo Urca, Frade, Bracuhy, Portogalo, Mangaratiba e Botinas, em relação aos contratos de engenharia, compras e construção para a construção de seis plataformas de perfuração semi-submersíveis para essas seis subsidiárias da Sete Brasil.

Como parte do acordo, Fernvale assumirá a propriedade das plataformas incompletas que surgiram da execução dos Contratos EPC com Bracuhy, Portogalo, Mangaratiba e Botinas. Os Contratos EPC e acordos relacionados firmados com essas quatro subsidiárias serão considerados rescindidos de forma amigável, sem penalidades, reembolsos e / ou quaisquer valores adicionais devidos a qualquer parte, e as partes renunciarão a todos os direitos a quaisquer reclamações.

Os trabalhos realizados sob os contratos EPC com Bracuhy e Portogalo estão com cerca de 40% e 21% concluídos respectivamente, enquanto os de Mangaratiba e Botinas estão abaixo de 10%.

Quando o acordo de liquidação entrar em vigor, a Fernvale terá propriedade total das quatro plataformas incompletas e poderá explorar várias opções para extrair o melhor valor desses ativos.

Quanto às plataformas em construção para Urca e Frade, uma soma total de quase US $ 260 milhões será reconhecida como parte da dívida indiscutível incluída no Plano de Reorganização Judicial da Sete Brasil, aprovado pelo tribunal. O valor em aberto será pago à Fernvale proporcionalmente e pari passu com os outros credores do Grupo Sete como parte e fora dos recursos do seu Plano de Reorganização Judicial.

Em uma reunião dos credores da Sete Brasil realizada em 3 de outubro de 2019, no Brasil, pela Sete Brasil e suas subsidiárias austríacas, o contrato de liquidação e a proposta de oferta vencedora para Magni Partners comprar quatro subsidiárias da Sete Brasil, incluindo Urca e Frade, foi aprovado pelos credores. O contrato de liquidação somente entrará em vigor mediante o cumprimento de outras condições precedentes, incluindo a venda bem-sucedida da Urca e Frade pela Sete Brasil à Magni Partners.

Separadamente, Fernvale está discutindo com a Magni Partners os termos para concluir a construção das sondas de perfuração contratadas com Urca e Frade, com 92% e 70% de conclusão, respectivamente.

Quando o acordo de liquidação entrar em vigor, a Keppel O&M poderá resolver uma questão pendente longa relacionada às seis plataformas.

Caso Sembcorp Marine 

Separadamente, a Sembcorp Marine chegou a um acordo com a Sete Brasil em relação a um total de sete contratos de perfuração garantidos por suas várias subsidiárias das várias subsidiárias da Sete Brasil. Esses contratos tinham um preço total de contrato de US $ 5,6 bilhões.

Após o pedido da Sete Brasil para uma reestruturação judicial no Brasil, a Sembcorp Marine anunciou em 22 de abril de 2016 que havia iniciado um processo de arbitragem contra várias subsidiárias da Sete Brasil por reclamações nos termos dos contratos.

A empresa informou na segunda-feira que chegou a uma solução final e definitiva das reivindicações em todos os contratos com o Grupo Sete, sob reserva de certas condições precedentes. Após o cumprimento das condições precedentes, todos os sete contratos serão rescindidos e as partes se libertarão mutuamente de todas as reivindicações relacionadas aos contratos.

Em cinco dos sete navios-sonda, a empresa manterá todos os trabalhos realizados. Em relação a dois dos sete navios-sonda com maior progresso de construção, os títulos dessas obras serão distribuídos entre o estaleiro e a Sete Brasil na proporção dos pagamentos efetuados pela Sete Brasil.

A Sete Brasil identificou um comprador para as empresas da Sete Brasil, proprietárias dos dois navios-sonda. Espera-se que o comprador negocie com a Sembcorp Marine a celebração de novos contratos para concluir os navios-sonda.

Após o acordo, as partes encerrarão a arbitragem.

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para O Topo