Emprego

Obras de construção para transportar gás natural do pré-sal vai gerar 7,5 mil empregos até 2020

Empregos à vista em Itaboraí, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. As obras de construção da Rota 3, o gasoduto que vai transportar o gás natural que será produzido nos campos do pré-sal na Bacia de Campos até o Comperj já teve suas obras iniciadas.

Segundo a Petrobras, o projeto da Rota 3, que inclui a construção também da Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN), no Comperj, emprega atualmente cerca de 5 mil trabalhadores, quase todos vindos dos municípios do entorno. Deverão ser gerados pelo menos mais 2,5 mil empregos até o próximo ano.

De acordo com a Petrobras, o pico de contratação deve ser atingido no final do segundo trimestre de 2020, quando atingir cerca de 7,5 mil trabalhadores. A região de Itaboraí e municípios vizinhos foram duramente atingidos nos últimos anos pela paralisação das obras do Comperj desde 2014, quando os contratos foram envolvidos no esquema de corrupção revelados pela Operação Lava Jato.

A Petrobras explicou que as novas contratações são de responsabilidade das empresas responsáveis pela construção e montagem do projeto. A expectativa é que até o fim do ano sejam abertas mais vagas para ajudantes, operadores de máquinas pesadas, motoristas de caminhões, soldadores e eletricistas , entre outros.

A estatal informou ainda que, no último dia 28, a companhia e a empresa MIP Engenharia concluíram a montagem da torre do flare (tocha), considerado um marco nas obras. A torre, que tem 156 metros de altura e pesa 424 toneladas, compõe o sistema de segurança para a queima do gás residual das atividades.

Esse projeto integrado da Rota 3 vai representar uma terceira rota de escoamento para o gás natural do pré-sal, e sua conclusão é fundamental para conseguir transportar o gás natural que será produzido a partir de 2021 nos campos do pré-sal na Bacia de Santos.

O projeto da Rota 3 é formado pela Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN), que vai processar o gás, e está em construção no Comperj. A UPGN terá capacidade de processar até 21 milhões de metros cúbicos por dia.

Além da UPGN, o projeto contempla a construção de um gasoduto com aproximadamente 355 km de extensão total, sendo 307 km de trecho marítimo – já construído – e 48 km de trecho terrestre, em construção. Tanto a UPGN quanto o gasoduto estão previstos para ficar prontos em 2021, segundo a Petrobras.

Fonte: O Globo

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para O Topo