o fim da emergência de saúde pública no Brasil

No domingo (22) terminou no Brasil o estado de emergência em saúde pública de importância nacional (ESPEN), devido à pandemia de COVID-19.

o Decreto com Resolução Foi assinado pelo ministro da Saúde, Marcelo Quiroga, em 22 de abril, e estipulou um prazo de 30 dias para que estados e municípios se adaptassem à nova realidade.

A decisão do governo brasileiro foi tomada com base em Cenário epidemiológico Arrefece e avança a campanha de vacinação no país. Segundo o Ministério da Saúde, apesar dessa medida, a política de saúde pública não será interrompida.

“A carteira vai apoiar estados e municípios no que diz respeito à continuidade das ações que compõem o plano nacional de emergência”, assegurou o governo.

Histórico

Em 12 de maio, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a pedido do Ministério da Saúde, prorrogou o prazo de validade das autorizações para uso emergencial de vacinas contra a covid-19, que não são mais utilizadas na campanha de vacinação contra a covid-19 . Doença com o fim de Epin. Esta medida também se aplica a medicamentos que só devem ser usados ​​durante uma crise de saúde. Conforme decisão coletiva do Conselho de Administração da Anvisa, as autorizações permanecerão em vigor por mais um ano.

No mesmo dia, a Anfisa alterou a decisão permitindo a flexibilização dos procedimentos sanitários adotados em aeroportos e aviões, devido ao fim do estado de emergência. Entre as mudanças Retomar o serviço de alimentação A bordo e autorização para retirar as máscaras alimentares durante o voo.

De acordo com o Ministério da Saúde, o governo federal destinou aproximadamente R$ 34,3 bilhões para a compra de cerca de 650 milhões de vacinas contra a COVID-19.

Por conta da vacinação, o Brasil registrou queda de mais de 80% na média móvel de casos e óbitos por COVID-19, em relação ao pico de casos decorrentes da variante mícron, no início deste ano. Os critérios epidemiológicos, tendo em vista as áreas técnicas da carteira, indicam que o país não se encontra mais em estado de emergência nacional de saúde pública.

READ  Por que 2022 seria o melhor ano para leilões de infraestrutura no Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima