Petróleo

Em 5 anos, custo de extração do pré-sal cai em 67%

O pré-sal tem trazido bons resultados para a Petrobras, e a brusca redução do seu custo de extração está entre um dos principais efeitos benéficos para a empresa. No último semestre, o valor gasto na extração do barril de óleo caiu de R$ 23,94 para R$ 19,95 segundo dados da própria Petrobras. Uma queda considerável, cerca de R$ 4,00.

A expectativa, segundo analistas,  é que esses valores continuem em declínio, anda por cima diante do aumento de produção de novas plataformas em 2020. Nesta quarta-feira, (06), o governo irá realizar o megaleilão do pré-sal que deve estimular os resultados do setor no futuro.

Dados levantados pelo Estadão/Broadcast com a Rystad Energy Ucube, empresa de pesquisa em energia, mostraram que o custo de exploração do pré-sal recuou 61% de 2014 até 2019, de R$ 61,44 por barril para R$ 24,9. Se forem considerados os números atualizados pela Petrobras em seu último relatório, a queda é ainda maior, de 67%, para R$ 19,95.

Esse movimento tem aproximado a Petrobras de gigantes do setor. Juntas, Shell, ExxonMobil, BP, Chevron e Eni, apresentaram uma redução de custo médio de R$ 21,68/barril até agora em 2019.

Mesmo com bons resultados, a estatal ainda tem um caminho considerável pela frente para se equiparar com o Oriente Médio, potência da produção de petróleo global, cujo custo médio de extração é de R$ 12,85 por barril, conforme números da Rystad Energy Ucube.

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para O Topo