Clube brasileiro marca pontos por abuso racial Canberra Times

Esportes, Futebol

Um clube da segunda divisão brasileira foi bloqueado por três pontos e um de seus dirigentes foi banido do futebol por 360 dias por abusar de um jogador adversário durante uma partida recente. O Tribunal de Esportes da Suprema Corte multou Presquez em $ 11.000 ($ A15.000) e o oficial sênior Julio Antonio Peterman em 30.000 riais ($ A8000). Série B em 28 de agosto no Brasil. Quando Peterman compareceu ao tribunal e se desculpou, Peterman admitiu “cortar o cabelo de uma abelha” ao meio-campista Celsinho, do Londrina. Não houve torcedores no jogo, que terminou em 0 a 0 devido às restrições do Covit-19 no Brasil. Porém, Celsinho identificou Peterman no camarote do dirigente e o incidente consta do relatório do árbitro. Casos de racismo abalaram o futebol nos últimos anos e receberam considerável atenção. Mas ainda é raro punir clubes dividindo pontos ou perdendo seus jogos. “Este é o primeiro caso que vejo de difamação racial por parte de um dirigente de clube”, escreveu Wanderson McCullough, um dos juízes. “Ser um executivo de clube traz uma dimensão organizacional e não vejo como o clube pode ser responsabilizado.” Antes de serem deduzidos os pontos, Brusque estava em 15º na Série B com 20 equipes, enquanto o Londrina estava a cinco pontos da última posição. Australian Associated Press

/images/transform/v1/crop/frm/silverstone-feed-data/2aa28888-255d-4627-a470-0bf5ebcd98fa.jpg/r0_74_800_526_w1200_h678_fmax.jpg

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

Petro Link