Brasil espera mais tráfego aéreo pelo aeroporto de Konkanhaus antes do leilão

Brasil espera mais tráfego aéreo pelo aeroporto de Konkanhaus antes do leilão

O governo brasileiro planeja aumentar o número de passageiros aéreos, inclusive internacionais, do aeroporto de Konkanhas, no estado de São Paulo, o que aumentará o interesse pela oferta planejada.

Duas novas companhias aéreas serão lançadas de Konkanhaus em outubro. O Ita pediu 14 assentos, e a Total, que tem serviços de frete, retomará os voos de passageiros com 12 assentos, disse Ronnie Glansman, secretário de aviação civil do Ministério da Infraestrutura.

“Há muita coisa acontecendo no Konkanhaus. Vamos aumentar a capacidade atual do aeroporto de 32 para 44 operações por hora.

O governo quer atrair empresas estrangeiras como Flypondi e Jetsmart para voos internacionais a partir do aeroporto, diz Glassman, já que existem rotas na América do Sul.

O Congohas atualmente é utilizado para voos domésticos e sua rota principal é conectada ao Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro.

O governo está tentando atrair investidores para as ofertas aeroportuárias previstas para o próximo ano.

“A atração de voos internacionais do Aeroporto de Konkanhaus aumentará o interesse dos investidores na oferta do aeroporto, bem como de novos operadores”, disse à BNamericas Fabio Falconberger, advogado especializado em contratos de infraestrutura do Machado Mayor Law Firm.

O governo planeja oferecer concessões para operar os dois maiores aeroportos do país no próximo ano.

A agência de aviação civil Anac aprovou recentemente a minuta do edital para o leilão de 16 concessões de aeroportos, que deve gerar um investimento de US $ 8,8 bilhões (US $ 1,64 bilhão) durante o contrato de 30 anos.

As ofertas são oferecidas em três módulos, conectando terminais ocupados e menos ocupados. Em oferta estão os segundo e terceiro aeroportos domésticos mais movimentados do Brasil, Konkanhaus e Santos Dumont.

READ  Vida dedicada aos direitos indígenas no Brasil

No entanto, segundo Falkenberger, o plano de reconhecimento de voos internacionais no Konkanhaus pode causar tensão com GRU Airport, a operadora de Kurulhos em Charu Palo, o aeroporto mais movimentado do país. O GRU é de propriedade do GRUPar (80% da Invepar e 20% da ACSA da África do Sul) e 49% das autoridades aeroportuárias federais Infraero.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima