Bolsonaro inicia candidatura à reeleição em convenção partidária

O presidente brasileiro Jair Bolsonaro oficializou sua candidatura à reeleição em outubro, dando-lhe três meses para fechar uma lacuna de dois dígitos para garantir a vitória.

A aprovação formal da candidatura de Bolsonaro pelo Partido Liberal aconteceu em sua convenção no domingo em um estádio do Rio de Janeiro. O apoio era amplamente esperado e meramente simbólico, já que o presidente de extrema-direita está efetivamente em campanha há meses, cruzando o país para angariar apoio e lembrar aos eleitores por que devem apoiá-lo e não ao ex-presidente de esquerda Luiz Inácio Lula da Silva.

“Não precisamos de outra ideologia que não funcionou em nenhum outro lugar do mundo. Precisamos melhorar o que temos”, disse Bolsonaro no palco, cercado por ministros, ex-ministros, familiares e outros aliados. “Nossa vida não foi fácil, mas uma coisa me conforta não é ver um comunista sentado naquela minha cadeira.”

Bolsonaro procurou caracterizar a próxima corrida como uma batalha entre o bem e o mal, ecoando sua campanha de 2018 que o apresentou como um forasteiro em uma cruzada para restaurar a lei, a ordem e os valores conservadores a uma nação rebelde. Ele se juntou ao Partido Liberal centrista em novembro depois de não conseguir iniciar seu próprio partido.

As pessoas serpenteavam pelas filas para entrar no estádio, onde o jingle da campanha “Capitão do Povo” tocava repetidamente. Os torcedores estavam vestidos com as cores nacionais verde e amarela, embora houvesse dezenas de assentos vazios no estádio, que tem capacidade para cerca de 13.600.

Vários apoiadores do presidente disseram à Associated Press que, se Bolsonaro não ganhar um segundo mandato, o Brasil seguirá a liderança catastrófica da Venezuela. E muitos falaram sobre como não confiam em pesquisas que mostram Bolsonaro atrás e esperam totalmente que ele vença.

READ  Novo desafiante Adapta Bank é lançado no Brasil

Da Silva lidera todas as pesquisas para retornar ao seu antigo emprego – como havia feito em 2018 até sua remoção da corrida por uma condenação por corrupção. Isso permitiu a Bolsonaro, então um legislador marginal de sete mandatos, chegar à vitória. A condenação de Lula foi anulada no ano passado pela Suprema Corte, que decidiu que o juiz que supervisionava a investigação havia sido parcial e conivente com os promotores.

Bolsonaro enfrenta uma batalha árdua. Seus índices de aprovação se recuperaram apenas ligeiramente desde o declínio durante a pandemia. Uma investigação do Congresso no ano passado recomendou que ele e funcionários do governo enfrentem acusações criminais por ações e omissões relacionadas ao segundo maior número de mortes pela doença no mundo.

A última pesquisa do Datafolha, em junho, constatou que mais da metade dos entrevistados disse que não votaria nele em hipótese alguma. E 47% dos entrevistados disseram que pretendem votar em Lula, contra 28% em Bolsonaro, segundo a pesquisa, que teve margem de erro de mais ou menos 2 pontos percentuais.

Analistas políticos esperam que a corrida fique mais apertada nos próximos meses.

O governo de Bolsonaro recentemente limitou os impostos interestaduais para reduzir os preços da gasolina para os consumidores – um esforço auxiliado pela queda dos preços globais do petróleo – e aprovou um programa de aumento de bem-estar social que começará no próximo mês e durará até o final do ano. Bolsonaro anunciou no domingo que, se eleito, o programa será estendido até 2023.

A taxa de desemprego também caiu abaixo de dois dígitos pela primeira vez desde 2016, e as perspectivas econômicas para este ano aumentaram de forma constante. Analistas consultados pelo banco central esperam crescimento de 1,75%, mais do que o triplo do nível previsto em abril.

READ  Tensão entre o sistema de identificação digital do Brasil e as regras retardam o progresso

O programa de assistência social fornecerá um impacto limitado para Bolsonaro porque a classe social beneficiada é mais favorável a Lula, de acordo com Esther Solano, socióloga da Universidade Federal de São Paulo que realizou pesquisas direcionadas a potenciais eleitores de Bolsonaro.

“Há uma ligação muito forte dessa base popular com Lula. Ele é reconhecido como um líder político que realmente se importou com essa base”, disse Solano.

Bolsonaro está particularmente lutando para obter apoio de eleitores do sexo feminino e está procurando ajuda de sua esposa, uma cristã evangélica. Michelle Bolsonaro subiu ao palco no domingo e fez um discurso repleto de passagens bíblicas, a certa altura se referindo ao marido como “o escolhido de Deus”.

Com a possibilidade de perda iminente, Bolsonaro insistiu que o sistema de votação eletrônico usado desde 1996 é suscetível a fraudes, embora nunca tenha apresentado nenhuma evidência. Muitos analistas políticos expressaram medo de que Bolsonaro – um admirador declarado de Donald Trump – esteja se preparando para seguir a liderança do ex-presidente dos EUA e rejeitar os resultados.

Suas alegações infundadas foram redondamente rejeitadas, mais recentemente depois que ele chamou dezenas de diplomatas ao palácio presidencial para falar sobre o assunto. Associações de promotores, juízes e Polícia Federal expressaram sua fé no sistema atual, assim como membros da Suprema Corte e da autoridade eleitoral, legisladores, incluindo o presidente do Senado, e o Departamento de Estado dos EUA.

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

PETROLINK.COM.BR PARTICIPE DO PROGRAMA ASSOCIADO DA AMAZON SERVICES LLC, UM PROGRAMA DE PUBLICIDADE DE AFILIADOS PROJETADO PARA FORNECER AOS SITES UM MEIO DE GANHAR CUSTOS DE PUBLICIDADE DENTRO E EM CONEXÃO COM AMAZON.IT. AMAZON, O LOGOTIPO AMAZON, AMAZONSUPPLY E O LOGOTIPO AMAZONSUPPLY SÃO MARCAS REGISTRADAS DA AMAZON.IT, INC. OU SUAS AFILIADAS. COMO ASSOCIADO DA AMAZON, GANHAMOS COMISSÕES DE AFILIADOS EM COMPRAS ELEGÍVEIS. OBRIGADO AMAZON POR NOS AJUDAR A PAGAR AS TAXAS DO NOSSO SITE! TODAS AS IMAGENS DE PRODUTOS SÃO DE PROPRIEDADE DA AMAZON.IT E DE SEUS VENDEDORES.
Petro Link