Ações do Nubank do Brasil sobem com regras do banco central vistas como menos onerosas

Banner do Nubank, startup brasileira de FinTech, está pendurado na fachada da Bolsa de Valores de Nova York (NYSE) para comemorar o IPO da empresa em Nova York, EUA, em 9 de dezembro de 2021. REUTERS / Brendan McDermid

Registre-se agora para ter acesso GRATUITO e ilimitado ao Reuters.com

14 Mar (Reuters) – A fintech brasileira Nubank disse nesta segunda-feira que as novas regras do banco central para bancos digitais trarão requisitos de capital mais baixos do que o originalmente esperado no próximo ano e em 2024, com o anúncio elevando suas ações.

Em um documento de valores mobiliários, a estrela das fintechs da América Latina, apoiada por Warren Buffet, disse que a mudança não tem um impacto significativo em seu “modelo de negócios ou em nossa capacidade de crescer”.

As ações do Nubank listadas nos EUA subiram quase 2% a US$ 6,04 após o mercado. Apesar da alta de segunda-feira, no entanto, as ações do Nubank perderam quase 37% até agora este ano, em linha com o sentimento dos investidores no mercado de tecnologia mais amplo.

Na sexta-feira, o banco central do Brasil anunciou regras mais rígidas para as fintechs, sujeitando as instituições de pagamento a regulamentações com base em seu tamanho e complexidade, além de elevar os padrões de capital exigido.

A nova estrutura, que entrará em vigor em janeiro de 2023 com implementação total até janeiro de 2025, estenderá a proporcionalidade dos requisitos regulatórios atualmente usados ​​para conglomerados de instituições financeiras para incluir conglomerados financeiros liderados por instituições de pagamento.

Reportagem de Carolina Pulice e Marcela Ayres; Edição por Tim Ahmann Edição por Chris Reese

Nossos padrões: Os Princípios de Confiança da Thomson Reuters.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima